Poetizou 10 (Em Quarentena)- Olhos Hipócritas

Compartilhe nosso conteúdo
  • Autoria de Leonardo Costa, Graduando em Direito e Coordenador de Pesquisa da LAAD.

 

Olhos Hipócritas

 

Já ouvi que os olhos são a janela d’alma

Olhos esses que pesam sobre meus ombros 

Olhos que me insultam por entre os cantos

Ignorantes  olhos que não enxergam o trauma

 

Fúteis os olhos que riem da desgraça alheia 

Olhos cegos que são incapazes, de ver a dor causada 

Olhos esses que seguem, à risca os olhares da teia 

Vazios os olhos que já não lacrimejam, diante a dor extravasada 

 

Olhos castanhos, azuis e verdes vislumbram um mundo sem cor

Olhos os quais cansados, se tornam fugazes aos meus 

Árida é a alma que se encontra, ante esses olhos sem amor

 

Olhos que avistam um céu, que já os deixou para trás

E nesse mirante espectral, a luz não se alcança mais

Olhos famintos que se fecham, sem descansar em paz

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta