Poetizou 08 (Em Quarentena)- 31 dias de isolamento

Compartilhe nosso conteúdo
  • Autoria de Denise Leal, Bacharel em Direito, Fundadora e Presidente da LAAD.

4ª semana de quarentena:
Fazenda, mato e liberdade,
Como me fazem saudade.

Sinto falta do doce feito sob a lenha,
Do cheiro de café moído na hora,
E da pamonha feita com a família inteira.

Me faz falta, vovó, que sempre é
na mão e nos conselhos, certeira.
Vovô, e suas conversas,

Os tios com as melhores histórias,
(as vezes sem eira nem beira)
As tias com os melhores abraços,
Os primos e as primas, eita primaiada boa!

No coração do avô e da avó também cabem os genros, as noras,
e toda visita bem educada que chegar na casa.
Quase sempre tem doce de leite, geladinho de abacate,
Carne de lata, bolo de farinha de trigo, pão de queijo, e muito amor.

Papai vai dirigindo o carro e cantando sertanejo,
Mamãe está quase sempre sorrindo, sonhando.
Eu e meus irmãos, vamos entre tapas e beijos, sonhos e segredos.
Há muita risada e apego.

Grande família, talvez mais de cem.
É festa misturada com confusão,
e o amor sempre é mais forte.
Nunca vi ninguém, viver tão feliz,

como Deus e eu no sertão,
Casa simplezinha, rede pra dormir,
perto de uma mata e de um ribeirão
de noite um show no céu, deito pra assistir,

Logo vai passar essa quarentena, Deus vai permitir:
que não haja solidão, tenha festa lá na vila, depois da missa, lá vou eu.
De volta pra casa, queimo a lenha no fogão,
e junto ao som da mata, sou eu e uma multidão.

Não há solidão

(Muitas vezes eu não estive com vocês, porque precisei me dedicar a um futuro. Perdoem-me. Quero estar mais com vocês, a vida é tão breve não é? Por favor, recebam essa mensagem de amor, e sintam meu abraço. Estamos distantes, mas unidos. Eu amo vocês.)

 

  • Trechos em itálico pertencem à musicas “Deus e Eu no Sertão” e “Vida Boa”, de Victor e Leo.
Facebook Comments

Deixe uma resposta