Aula inaugural da LAAD discute responsabilização jurídica em Mariana e Brumadinho

Compartilhe nosso conteúdo

Aula Inaugural lota Teatro PUC

A Liga acadêmica de Acessibilidade ao Direito da PUC Goiás  (LAAD) realizou, na noite de 26 de fevereiro, no Teatro PUC, no Campus V, a sua Segunda Aula Inaugural, desta vez com o tema “Possível responsabilização do Brasil em Tribunais Internacionais nos casos Mariana e Brumadinho”.  Estudantes todos os cursos do Campus V –  Direito, Jornalismo e de Relações Internacionais – além de outros, como os de área da saúde, ocuparam a plateia para ouvir dos dois palestrantes convidados: o professor José Antonio Tietzmann e Silva, da PUC Goiás e da UFG, e professora Mariane Morato Stival, Professora do Curso de Direito do UniEvangélica, de Anápolis.

O evento contou com a presença da professora  Maria Nivia Taveira Rocha, diretora da Escola de Direito e Relações Internacionais, do professor  Alessandro Paixão, orientador  da LAAD, e da professora Neire Divina Mendonça, coordenadora do curso de Direito da PUC Goiás.

O pronunciamento de abertura do evento coube à acadêmica de Direito Denise Machado Leal, presidente da Liga, que fez uma breve apresentação sobre o que é a LAAD, seus objetivos, e convidou a todos a se integrarem à nova organização estudantil. O professor José Antonio Tietzmann discorreu acerca das convenções, acordos e outros documentos internacionais que tratam das questões ambientais para situar, no plano internacional, o significado das tragédias humanas e ambientais de Mariana e Brumadinho.

 A professora Mariane Morato Stival fez uma análise em que demonstrou afinidade com a palestra antecedente,  e, ao final, apresentou ao público um conceito novo: o de ecocídio, o equivalente de homicídio para o meio ambiente.


Compartilhe nosso conteúdo

Deixe uma resposta